Buscar
  • Luiz Campos

Sono e desempenho

A qualidade do sono têm um impacto grande na sua rotina de vida e também no rendimento dos seus treinos.


O sono é doping natural, como dizem os atletas! Durante o sono mais profundo ocorre liberação de hormônio do crescimento (GH) e testosterona, fundamentais na recuperação e no desenvolvimento muscular. A performance melhora consideravelmente quando dormimos bem e nenhum estimulante substitui isso. Considera-se de 7 a 9 horas de sono em adultos como ideal e atletas podem precisar de mais horas na cama.


Noites mal dormidas podem acarretar alterações metabólicas e hormonais, aumentando a irritabilidade e a incidência de lesões musculares e de infecções em esportistas. Mais erros técnicos acontecem. Há aumento do cortisol, maior ingestão de carboidratos e maior acúmulo de gordura corporal.


Caso sinta que o seu sono não está bom, nada de se automedicar! Excesso de cafeína também não vai resolver. É necessário identificar e corrigir a causa da insônia. A apneia do sono e a síndrome das pernas inquietas, por exemplo, podem passar desapercebidas. O uso de alguns medicamentos e do álcool também são inimigos do bom sono.


Escurecer bem o ambiente e evitar o uso do celular e do computador horas antes antes de dormir são bons hábitos. Assim o organismo entende que é noite e secreta a melatonina naturalmente. Desenvolver uma rotina para dormir e acordar, praticar técnicas de relaxamento de controle do estresse, corrigir aspectos alimentares e reduzir o uso de estimulantes também são fundamentais.


Dr. Luiz Carlos Fontana - Médico do Esporte

9 visualizações0 comentário