Buscar
  • Saulo Pithan

Procedimento endoscópico raro é realizado em Araranguá

Atualizado: 29 de jun. de 2021


Os tumores de esôfago estão entre os mais comuns e recentemente ganharam destaque na imprensa com a morte do prefeito de São Paulo Bruno Covas. “Esses tumores têm no Refluxo Gastroesofágico seu principal fator de risco e o diagnóstico precoce muitas vezes é bem difícil” explica Dr. Rafael Ostermann, Gastrocirurgião e endoscopista da Ostermann Medical Center.

Na semana passada, um paciente sofrendo com esse tipo de tumor recebeu tratamento no centro médico e foi atendido pela equipe da unidade de endoscopia digestiva. De acordo com o médico, devido o tumor já estar em estágio avançado o que impossibilitava a deglutição dos alimentos, a equipe optou por colocar uma prótese auto expansível na região do tumor. “Dessa forma, oferecemos uma solução paliativa com a intenção de dar ao paciente novamente o prazer de se alimentar normalmente e assim melhorar a qualidade de vida nessa fase da doença” explica o médico endoscopista.



Como é feito?

O procedimento minimamente invasivo é feito totalmente por endoscopia, sem cortes e sem internação e visa oferecer conforto ao paciente que terá novamente a possibilidade de voltar a se alimentar normalmente. “O stent é inserido através do esôfago, ficando a porção do meio (central) do stent exatamente no local do tumor. O stent é disparado e se expande abrindo a região que estava estreitada e possibilitando alimentação por via oral” explicou Dr Rafael.


Como procurar tratamento?

Se você está passando por dificuldades no tratamento do refluxo, ou ficou com dúvidas e precisa mais esclarecimentos sobre os procedimentos, entre em contato para maiores informações que podem ser esclarecidas na Central de Atendimento ao Paciente-CAP, pelo WhastApp (48) 48 9973-7109 ou (48) 3522-2314.


26 visualizações0 comentário